Gestão de negócio: 4 ferramentas básicas de gestão

Tempo de leitura: 3 minutos

Toda empresa necessita de um plano de gestão e uma boa estratégia para se manter no mercado. Listamos 4 das ferramentas de finanças essenciais para gerir uma pequena empresa.

1- Formulação de estratégias de negócio
Antes de iniciar o planejamento estratégico, a empresa deve coletar várias informações a respeito do ambiente e já possuir visão clara de onde quer chegar.

No entanto, esta fase exige maturidade e paridade com a visão empresarial, a fim de escolher as estratégias mais assertivas.

O planejamento é o detalhamento de como a empresa vai atuar para alcançar os objetivos gerais e funcionais, cumprindo sua missão e realizando a visão de futuro.

Na formulação das estratégias para a sua empresa, é preciso saber claramente qual a oportunidade visualizada no mercado, quais recursos que a empresa dispõe e quais as ameaças que poderá vir a enfrentar.

Além disso, vale saber se é possível que a empresa cresça significativamente no futuro com a atual linha de produtos ou serviços, ou precisará desenvolver novos.

Somente com essas informações o empreendedor pode definir estratégias adequadas de gestão.

2- Demonstrativos financeiros confiáveis
Todo gestor deve saber que a informação é a principal aliada na hora de tomar uma decisão empresarial.

Isso significa que uma empresa, por menor que seja, deve ter sempre disponíveis balanços, relatórios contábeis e financeiros atualizados e corretos.

Muitos empresários colocam os números financeiros nas mãos dos contadores e não os utilizam para tomada de decisão e somente para fins de legislação.

Quem não consegue analisar indicadores financeiros e estabelecer metas para o crescimento e lucratividade da empresa vai ter muitas dificuldades em sobreviver no longo prazo.

3- Estabelecimento de metas e indicadores
Existe uma frase que todo gestor deve conhecer: “O que não pode ser medido, não pode ser gerenciado”.

Segundo a Fundação Nacional da Qualidade (FNQ, 2008), metas são níveis de desempenho pretendidos para determinado período de tempo.

O principal e crucial erro do microempresário é não acompanhar as métricas e desenvolvimento de seu negócio, pois apenas com esses números é possível criar metas alcançáveis a curto e longo prazo.

Quando for decidir a meta a ser cumprida pela empresa, é de extrema importância que isso seja discutido com os responsáveis pelo setor onde se espera o resultado.

gestãoSomente quando esta pessoa estiver de acordo é que a meta se torna viável e os colaboradores ficam comprometidos com o resultado.

4- Acompanhamento e monitoramento

Depois de definido o plano de negócio e a implantação das metas, resta ao microempresário o acompanhamento e monitoramento do dia a dia do negócio.

Uma vez construídos indicadores e feito o plano, o empresário fica com a tarefa de monitorar a evolução dos índices para possíveis mudanças de rumo.

Portanto, concluímos que as métricas são claramente indispensáveis agora, não é?

Mas sem objetivos nada disso tem importância alguma para seus trabalhos. No mundo dos negócios, cada vez mais competitivo, antes de você apostar tudo em um projeto futuro, procure antes estabelecer os reais objetivos para ele e implemente algumas dessas principais dicas.

Será um grande passo para garantir sua vitória!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *